Voice Design Branding

Voice Design Branding é a marca do projeto da voz.

Na raiz grega a palavra pessoa significa ‘por meio do som’. No espanhol persona, no inglês person.

A voz é a marca da sua individualidade, é a sua identidade, é o seu cartão de visitas.

Sua voz é a manifestação da sua personalidade.

É como somos identificados e como nos identificamos com o mundo.

É a digital que revela o conjunto de características explícitas e implícitas materializadas através dos códigos sonoros emitidos.

Esta área do Voice Design dedica-se a construção da marca vocal do indivíduo no âmbito profissional, tanto na sua atuação com a organização a que está vinculado, bem como nas relações com o seu mercado.

São os profissionais com potencial de representarem a marca vocal da corporação, devidamente identificados e reconhecidos como tal na corporação e no mercado..

São eles que emprestam sua voz para a corporação falar e ser reconhecida pleos seus públicos.

Compreende a identificação, sistematização, estruturação e viabilização do uso da linguagem adequada a cada meio, da cultura organizacional, do âmbito relacional, do valor do sotaque regional, do alinhamento e afinamento do discurso interno e externo.

O campo de ação do Voice Design Branding abrange identificar, planejar, elaborar, desenvolver, organizar e modelar a marca da voz de cada profissional, num sistema de sonorização capaz de transmitir plenamente a sua personalidade com repercussão direta na corporação e/ou no mercado que atua.

O objetivo desta área do Voice Design é projetar a marca vocal do profissional, como valor agregado e de fator e influência, inclusive,  na decisão de compra de produto ou serviço.

Trata-se da construção de uma engenharia da voz que uma marca necessita para se posicionar junto aos seus públicos interno e externo, arquitetada para atender cada demanda.

Ela compreendendo desde a idealização, composição, elaboração, produção e disseminação, a partir estrutura básica de design: tonalidade, proximidade e alinhamento a ser aplicada em cada contexto e circunstância.

Deve-se desenvolver cada marca do projeto da voz sintomatizado e harmonizado com as características linguísticas de cada público, visando garantir maior precisão a autenticidade e embatia.

Identifica-se as expectativas que eles têm sobre o produto ou serviço da empresa, para conseguir-se preparar os profissionais que vão dar personalidade para a marca da voz corporativa.

São características objetivas e subjetivas que farão os consumidores se identificarem com o produto ou o serviço oferecido pela empresa.

A finalidade de desenvolver a marca do projeto da voz é a capacidade de um profissional ser reconhecido, extensivo a organização que está vinculado e ao mercado que atua.

O Voice Design Branding compreende a realização de um diagnóstico do fluxo dialógico, dos contextos e circunstâncias conversacionais, dos ritos e rituais de interação, das temáticas de interesse profissionais, dos processos midiáticos e das práticas comunicacionais.

Trata-se de uma área que tem por escopo fornecer e desenvolver estratégias para a marca vocal nas áreas da comunicação interna, institucional, formativa (como cursos, ensino à distância e treinamentos), comercial (ações na área de vendas), marketing de relacionamento.

O processo compreende a elaboração, gestão e produção de mensagens, adequadas à necessidade específica de cada aplicação.

A elaboração do diagnostico para o planejamento do Voice Design Branding se dá pela interação que ocorre através de sugestões, idéias e opiniões dos funcionários e colaboradores.

Objetiva-se identificar a  musicalidade do ambiente corporativo, as expressões chave com as suas respectivas conotações e denotações, bem como os bordões, os jargões e os uso de figuras de linguagem, além de outros recursos linguísticos.

Parte-se da elaboração de um inventário de todas as marcas vocais do profissional, minuciosamente identificada por cada um na sua jornada cotidiana, bem como em contextos e circunstâncias especiais e específicas.

Isso ocorre a partir de uma metodologia integrada de comunicação que pode compreender a adoção de recursos de TIC aplicados no ambiente e no âmbito corporativo, através da gestão de processos específicos.

Visa-se construir uma dinâmica que integra o relacionamento organizacional em todos os seus níveis ou ao mercado que o profissional está inserido, transformando-se numa relação biunívoca de informações, capacitação e conhecimento, promovida pela interatividade.

O Voice Design Branding contempla a seleção e a escolha de mídias auditivas e audiovisuais aplicadas em interfaces analógicas ou digitais, de modo persencial ou virtual, aberta (online).

Permite-se a interação durante o processo de comunicação, capazes de ativar os vários estímulos sensoriais audiovisuais, considerando o fato da audição possuir um subsistema separado do processo de absorção visual.

Numa produção midiática oral o emissor da mensagem está presente no ato comunicacional, representado pela sua voz, com ou sem a opção de suporte visual.
Passos:

  1. Identificar a marca vocal do profissional;
  2. Experienciar as multiformes possibilidades da voz;
  3. A teatralização da palavra;
  4. A criação de expressões chave;
  5. A construção de bordões,  jargões, grunhidos, itens vocais;
  6. A utilização de figuras de linguagem;
  7. Aplicar pausas estratégicas;
  8. Gravar a voz para auto avaliação;
  9. Elaborar por escrito o projeto da marca da voz;
  10. Apresentar o projeto da marca da voz;

Objetivos:

  1. Formar os profissionais vinculados a uma organização e/ou que atuam de determinado mercado;
  2. Ampliar a dimensão da marca vocal do profissional e por extensão da organização ou do mercado que pertence;
  3. Consciência plena durante ato comunicativo e do processo comunicacional;
  4. Planejar a estratégia da comunicação oral;
  5. Priorizar a ação sobre a atenção no ouvinte;
  6. Entender o papel de comunicador do profissional;
  7. Qualificar o discurso organizacional ou do mercado, a linguagem do meio;
  8. Ganhar assertividade na comunicação;
  9. Criar pontes relacionais que promova resultados efetivos e afetivos entre os profissionais;
  10. Implantar ações planejadas para promover o relacionamento interpessoal em todos os seus níveis;
  11. Aplicar recursos de TI e Telecom que disponibilize meios e ambientes virtuais e reais de integração entre os funcionários;
  12. Promover a sociabilidade organizacional. que gere melhoria nos relacionamentos interpessoais no ambiente de trabalho;
  13. Estimular oportunidades de diálogo que gere comprometimento e potencializar a produtividade;
  14. Conceber a elaboração, gestão e produção de mensagens adequadas à necessidade específica de cada ação comunicacional;
  15. Considerar objetividade ao usar uma linguagem direta, coloquial e conhecida do meio, oportunizando a interação do corpo funcional;
  16. Engajar das pessoas nas políticas estratégicas da organização;
  17. Capacitar os diversos escalas de lideranças, enquanto agentes de comunicação;
  18. Ampla experiência em start up da área de comunicação interna em empresas: diagnóstico, planejamento estratégico, tático, definição de políticas, processos, canais e indicadores.

Plano de Ação para fins Organizacionais:

  1. Realizar entrevistas oralizadas que revelem os aspectos voltados a pessoa do funcionários, quanto a percepção sobre as funções que realiza, o contexto que está inserido e os interesses pessoais e profissionais;
  2. O campo de ação do voice design compete criar, planejar, elaborar, desenvolver, organizar e modelar a voz, como instância efetiva do processo comunicacional, num sistema de sonorização vocal capaz de atribuir diversas funcionalidades;
  3. Estabelecer critérios para identificar os servidores alvo de entrevistas, considerando o perfil de cada integrante, o setor em que está lotado, as funções que desempenha e a disponibilidade em participar;
  4. Determinar o tempo máximo de duração de cada entrevista, preservando a fluência e a coloquialidadedas perguntas e respostas que gerem um produto final atrativo.
    Fases:
  5. Estabelecimento de critérios de abordagem de entrevistas;
  6. Cronograma de entrevistas;
  7. Realização de entrevistas;
  8. Produção e edição dos conteúdos;
  9. Definição das estratégias e dos meios de comunicação;
  10. Veiculação e alternativas de disponibilidade das entrevistas para os seus públicos;
  11. Acompanhamento e análise a partir dos resultados auferidos junto aos entrevistados;
  12. Identificação dos grupos de interesse;
  13. Organização de encontros por grupo de interesse;
  14. Promoção de eventos gerais;
  15. Análise dos dados e elaboração de relatório sintético.

 

Canais:

  • Intranet
  • Podcast
  • Blog
  • Portal de voz
  • Rádio Web
  • Aplicativo
  • Rede Social

Formato de Interação:

  • Grupos de Interesse:
    Dinâmicas de grupo, atentando as característica de cada área de interesse, visando fomentar o debate entre os participantes, capaz de gerar identidade coletiva entre participantes;
  • Roda de Conversa:
    Atividade voltada ao compartilhamento de experiências sobre um tema definido pelo mediador do evento;
  • Volta na Quadra:
    Formação de grupos de dois a quatro participantes com a finalidade de tratar de assuntos definidos entre as partes;
  • Escuta fina:
    Atividades prática envolvendo exercícios de aprimoramento da escuta, capaz de gerar uma fala assertiva, consistente e de elevado grau de comunicabilidade;
  • Sarau de leitura:
    Leitura realizada em grupo, onde os participantes aleatoriamente faz comentários, observações pertinenetes e mesmo contextualizando sua realidade;
  • Por dentro de mim:
    Trata de uma atividade voltada a comunicação intrapessoal, onde o participante busca a entender melhor do seu mundo interior, entre outros exercício, a realização de um inventário das suas palavras, reveladora das sua realidade, e identificar qual o modo de tratamento consigo mesmo.

Dinâmicas

  1. Identificar e registrar os contextos e circunstancias de cada participante na sua comunicação intrapessoal, verificando os temas predominantes, o modo do tratamento e de relacionamento consigo mesmo
  2. Identificar e registrar os contextos e circunstancias vivenciadas, a partir da primeira infância, sobre o que tenha sido dito em determinados momentos e que ativamente permanesse repercutindo na existência do indivíduo;
  3. Identificar e mensurar o grau de capacidade de ouvir através da formação de duplas em que um dos participantes conta uma breve história para outro e este narra ao seu modo o que entendeu, o que será validado pelo contador da historia;
  4. Momento e estabelecer um diálogo entre os participantes, constituído de momentos de exposição de pensamentos breves seguidos de breves pausas, silêncios externo e principalmente interno com o propósito de possibilitar o exercício da exata compreensão do que foi dito e aumentar a capacidade de retenção do conhecimento.
  5. Estabelecer relacionamentos convergentes para cumprir objetivos é a proposta desta dinâmica de comunicação oral.

Segmentos:

  • Comunicação Interna e Institucional:
  • Formativa (Comercial/Vendas – relacionamento com os profissionais da área e equipe interna);
  • Promocional (rotinas de produção/ação direta);
  • Marketing de Relacionamento (feedback /planejamento);
  • Educacional (cursos, ensino à distância, treinamento, conteúdo de docentes);
  • Edição de conteúdos de palestras, conferências e pronunciamentos;
  • Uso profissional da voz;
  • Media training.

Resultados almejados

  • Acentuar o sentimento de pertencer a uma organização de boa história e de imagem atual
  • Valorização de cada colaborador da empresa;
  • Intercomunicação nos diversos setores/departamentos, para ampla expressão de todos os colaboradores;
  • Fortalecimento do compromisso com os resultados da corporação;
  • Minimizar os potenciais prejuízos causados pelo chamado “Rádio Corredor”;
  • Cria identificações para filtrar a validade dos produtos e/ou serviços que são destinados ao mercado;
  • Promove a transparência na gestão e estabelece a informação oficial;

Em Áreas Específicas:

  • Comercial/Vendas;
  • Comunicação interativa online com os profissionais responsáveis pela comercialização dos produtos e serviços, visando ampliar resultados comerciais
  • Registro sonoro das reuniões com cada cliente, destinado a um banco de dados para ser ouvido pelo seu atendimento subseqüente, numa próxima abordagem comercial.
  • Perto de atingirmos a primeira década do Século 21, é fundamental que os gestores entendam seus papéis de comunicadores, implantando a logística adeqüada a esta atividade.
  • A qualidade nos discursos comunicativos favorece o entendimento. Efetuar ajustes de tons, sintetizar o conteúdo, contextualizar, eqüacionar voz para cada ambiente e adeqüar o vocabulário ao público ouvinte com o entusiasmo necessário é tarefa do Brand Voice Design
  • Esta tarefa desenvolvida por todos os gestores na organização pode agregar a colaboração do profissional de comunicação, socializador de conteúdo e conhecimento, buscando na oralidade a melhor forma de se estabelecer uma comunicação corporativa eficiente e eficaz, poisa História tem provado que, em comunicação, nada substitui a força da voz humana.

Benefícios:

  • Valorização de cada colaborador da corporação, acentuando o sentimento de pertencer a uma organização de boa história e de imagem atual.
  • Intercomunicação nos diversos setores/departamentos, para potencializar a produtividade e amplar uma visão holística de todos colaboradores.
  • Oportunizar a participação dos colaboradores, motivando o compromisso com os resultados da corporação,
  • Minimizar os potenciais prejuízos causados pelo chamado “rádio corredor”,
  • Promover a transparência e sustentabilidade na gestão e estabelecendo a informação oficial,
  • Criar identificações para filtrar a validade dos produtos e/ou serviços que são destinados ao mercado
  • Maximinizar a retenção do capital intelectual na organização.
  • Registrar e documentos o conhecimento organizacional, a partir de abordagem das respectivas fontes.
  • Minimizar conflitos nas esferas judiciais.
  • Criar vinculos em todos os níveis da organização, a partir da formação de grupos de interesse.
  • Fortalecer a cultura organizacional, considerando a importância da comunicação interna informal.

VD_Brand